domingo, 27 de dezembro de 2009

Balanço


Por se aproximar o fim do ano, o balanço começa a ser algo que este ano não me importo nada de fazer. Isto porque consegui realizar pelo menos o meu mais profundo desejo... que era acabar com o meu disturbiio alimentar!
Pois é o ano de 2009 foi talvez senão o melhor concerteza que tive desde o ano 2000 ou menos!
Visto que comecei com ele em 1999.
Pois é na passagem de ano de 2008/2009 pedi ás passas que me ajudassem a livrar do mu disturbio alimentar e que me ajudassem a mudar de vida, visto que já andava a abusar no alcool tambem.
Passado alguns dias aquele desejo domnou-me e comecei a tratar do assunto, outro aconteciemnto influenciou a minha escolha e lá fui pedir ajuda outra vez.
Procurei alguns centros de internamento visto que ja tinha estado num e sabia que não era com consultas que lá ia!
Não que tenha alguma coisa contra os profissionais de saude que actuam nessa area mas comigo nunca funcionou tentei de tudo e nada... podia melhorar mas voltava sempre ao mesmo... entao decidi internar-me desta vez por vontade propria!
Acredito na recuperaçao dos disturbios alimentares mas atraves deste tipo, pois atraves de medicamentos e 1 terapia por semana acho muito dificil.
Enfim, no dia 13 de Janeiro lá dava eu entrada numa comunidade terapeutica, que me atraiu pelo facto de ter arte terapia e exercicio fisico.
Lá passei 10 semanas, e desde o 1ºdia não mais vomitei.
Emagreci todos aqueles quilos que me tormentavam pois, sem beber e a voltar a controlar-me em 10 semanas perdi á volta de 10/12 kilos.
Não mais me pesei até Junho, mas pela roupa é o meu calculo.
E desde desse dia a minha vida deu uma volta de 180 graus, mudei de cidade, mudei de casa, mudei de area de estudo, mudei muitooooooo a minha vida.
Nao mais me preocupo com comida 24 horas por dia, nao me culpo por tudo o que como, permito-me a execessos e assumo e aceito que nao sou perfeita.
Foi 1 ano positivo em todos os aspectos. ;) Desejo um ano assim para todas voces que procurem o mesmo que procurava .... UMA SAIDA DO SOFRIMENTO!!!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Meditação do dia

" Não pares longe demais"
Seria uma coisa assustadora ser capaz de ver o futuro. Igualmente triste e preocupante, no entanto, é todo demasiadamente familiar o hábito de algum dia.
"Algum dia , eu estarei numa aula de dança...fazer parte de voluntariado do hospital ... fazer um cruzeiro nas ilhas gregas."
Eu vivi num futuro muito longo. A minha vida vai indo agora, e ~só há uma maeneira de viver: Agora.
Só por hoje: Eu nao quero saber o meu futuro, nem vivê-lo antes de ele chegar.

De volta!!


Pois é , decidi voltar a escrever, já há algum tempo que não o fazia, mas hoje nem sei bem porquê decidi fazê-lo.
Faz hoje 11 meses que estou em recuperação... ás vezes acabo por me esquecer do inferno que era a minha vida antes desta nova fase começar.
Mais uma vez mudei de cidade, de escola e de vida, mas desta vez pelos motivos diferentes não para fugir á minha doença, mas devido á pessoa com quem hoje em dia divido a minha vida.
E até está a ser benéfico, mantin-me na zona onde fiz tratamento, e tem-me ajudado.
O facto de estar constantemente com adictos a drogas e frequentar as suas reunioes, acabo muitas vezes por passar ao lado do meu real problema, mas o importante é que me mantenho em recuperação.
Escolhi esta imagem hoje, mas pelos motivos contrarios, apesar de ser uma das principais caracteristicas da anorexia e bulimia, neste momento eu não penso assim, finalmente olho-me ao espelho e não vejo o que lá não está mas sim o que realmente lá está reflectido.
Sinto-me bem com o meu corpo neste momento, não obceco com a comida e já não me mete medo... Consigo comer de tudo e ter uma alimentaçao identica ás pessoas que nao sofrem deste problema.
É bom... é um alivio... tambem já não acho que a culpa de tudo o que acontece está no peso, sinceramente nem penso muito nisso...
Deixei de me pesar...ao tempo que não me peso, desde Janeiro pesei-me 2 vezes, até parece mentira... mas a realidade é que isso me faz sentir bem, já não sou mais dependente da maldita da balança.
E está a tudo a correr como deve ser, umas vezes melhor outras piores, mas nunca deitando tudo a perder.
Isso para mim é o essencial. È verdade que o programa de 12 passos me tem ajudado muito, mas penso que não são só princípios para quem tem problemas, mas sim para todos... ele ajuda-nos a sentir-nos mais livres.
Bem por hoje me despeço, apenas quero aqui deixar a meditação de hoje, pois penso que ajudam-nos sempre a reflectir e parar para pensar.

" Incrivel graça! Como é doce o som que salvou um infeliz como eu!
Eu estava perdido, mas agora encontrei-me,
Estava cego, mas agora eu vejo."
Jonh Newton

Nada poderá descrever o que muitos de nós em O.A. sentem com as palavras "Incrivel graça"
Para nós, contudo, a experiência não é religiosa mas espiritual.
Qualquer que seja a religião que acreditemos ou não, a recuperação espiritual é sentida como uma profunda mudança interior;uma dissolução das atitudes e opiniões que nos mantinham acorrentados a compulsão.
O despertar espiritual cura-nos da nossa própria cegueira sobre a verdade acerca de nós mesmos e da nossa condição.
Não temos mais que andar sozinhos e perdidos. Nós encontramo-nos.
Só por hoje: As pessoas que estiveram profundamente nas garras das doenças do comportamento alimentar que recuperarm é verdadeiramente prova da Incrível Graça.



sexta-feira, 21 de agosto de 2009

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Meditação 7 Maio


SÓ POR HOJE : Concedei-me Senhor a coragem para ser honesto. Dizer NÃO se é isso que quero dizer.


terça-feira, 5 de maio de 2009

Yoga e Adicção

hehehe bastante interssante... nao me fosse eu identificar ;)
Yoga significa união.
União no sentido de integridade, em busca da liberdade: a Yoga nos ajuda na busca de nossa conexão com o universo, na interligação entre os elementos de nossa vida - nosso corpo, nossas emoções, nossa força vital, nossa mente - como maneira de levar uma vida mais satisfatória, mais recompensadora.

No meu entender, adicção significa separação.

Separação de nós mesmos de nossa liberdade - não importa ao que uma pessoa seja adicta, seja uma substância química ou o trabalho, seja comida ou relacionamentos - o que importa é que a nosso Eu não são permitidas escolhas livres, mas apenas escolhas condicionadas pela compulsão.

A Yoga trabalha no domínio da consciência e dos sentidos em busca da liberdade. Reconhece que podemos nos perder entre nossos impulsos, e trabalha o atingimento do prazer através do cultivo da presença em cada momento, em vez do abandono da consciência em compulsões. Como costuma dizer um famoso lema dos programas de 12 passos, na Yoga busca-se viver "só por hoje", ou ainda, "só por este momento" em equilíbrio.

A compulsão pode ser entendida não somente em termos de adicção como normalmente nos referimos (abuso de substâncias), mas mesmo aos nossos padrões de comportamento ossificados, e hábitos que consideramos nocivos e desejamos modificar. Não é necessário ser um adicto em substâncias pesadas para experimentar o prazer transformador que a ordem de um programa de 12 passos pode trazer, assim como para experimentar a transformação que uma prática de yoga pode proporcionar. Como se diz nos programas de 12 passos, o primeiro passo é admitir que somos impotentes perante determinado aspecto de nossa vida, e depois acreditar que algo maior que nós mesmos pode nos devolver a sanidade.

Isso se aplica também à pratica de yoga, para utilizá-la como ferramenta para cultivar a sanidade em diversas áreas de nossa vida.
Como descrevi em um post anterior sobre estado de fluxo, o prazer pode ser atingido não somente através dos sentidos, mas também através do cultivo de desafios, em que extendemos as capacidades do corpo e da mente. B.K.S Iyengar, grande divulgador do Hatha Yoga no ocidente, afirma que a prática de Yoga nunca deve ser "fácil" demais - sempre deve oferecer um desafio, e isso tem relação direta com o cultivo do estado de fluxo através do cultivo do corpo e da mente através do Yoga, e com as consequências que este cultivo traz: aumento da auto-estima e complexificação da personalidade e do self, melhorando a qualidade de vida.
Nós, na cultura ocidental, lutamos por ideais de perfeição - ser o competidor absoluto, o profissional do ano, a mãe nota 10, a gostosa do bairro, e frequentemente (sem trema rs) nos sentimos ansiosos frente a metas tão irreais.

A liberdade é uma meta real, pois é gradual, ao contrário da perfeição que é absoluta - a perfeição nunca pode ser atingida, enquanto o rompimento de cada amarra representa uma liberdade maior em relação ao estado anterior.

Como dizia Thomas Jefferson: "O preço da liberdade é a eterna vigilância", a liberdade depende do cultivo da presença de espírito e da consciência. E ao contrário do que muitas pessoas pensam, o cultivo de ambos não se trata de uma repressão cruel aos sentidos, mas a uma rota de auto-conhecimento que pode trazer genuíno prazer a quem a percorre.

A meditação, por exemplo, é uma atividade extremamente prazerosa e pode "ampliar o estado de consciência", assim como buscam muitas pessoas que abusam do uso de substâncias, sem os efeitos colaterais deste abuso e sem a perda do estado de consciência normal para isto.
Falando em abuso, existe na Yoga um conceito, um Yama, ou mandamento moral, que foi popularizado por Gandhi e chama-se "ahimsa", ou seja, o princípio da não violência. Este princípio nos ensina não somente a não violência contra os outros, mas também a não violência contra si mesmo. E muitos dos hábitos que cultivamos representam uma violência contra si mesmo (eu, por exemplo, acabei de tomar café preto depois de ter passado mal do estômago).
E para cultivar a não-violência, é preciso cultivar a sensibilidade - muitas vezes estamos tão anestesiados em nossa rotina que não percebemos o que fere a nossa integridade; não percebemos que o que estamos nos alimentando está nos prejudicando, se estamos comendo demais ou de menos, se estamos trabalhando demais ou sendo complacentes demais conosco mesmos, isso tudo fere o nosso equilíbrio.

E não é possível cultivar a sensibilidade sem a auto-observação. Não é possível a auto-observação sem a presença de espírito. E o cultivo destes é o caminho para o cultivo da nossa consciência, e logo, para a nossa liberdade. "

terça-feira, 28 de abril de 2009

Bulimia Nervosa


Descrição clínica

Os critérios diagnósticos para Bulimia Nervosa são:

A. Episódios recorrentes de compulsão alimentar.
Um episódio de compulsão alimentar é caracterizado pelas
seguintes características:

(1) comer, num período de tempo discreto (por exemplo,
dentro de um período de 2 horas), um montante de
comida que é definitivamente maior do que a maioria
pessoas comem durante o mesmo período
de tempo e em circunstâncias semelhantes;

(2) um sentimento de falta de controle sobre a alimentação
durante o episódio (por exemplo, um sentimento de que
um não consegue parar de comer ou controlar o que
ou quanto está comendo)

B. Recorrência a comportamentos compensatórios inadequados,
a fim de evitar o ganho de peso, tais como a auto-indução de
vómitos; consumo de laxantes, diuréticos, enemas, ou outros
medicamentos; jejum ou exercício excessivo.

C Compulsão alimentar e inadequada
ambos os comportamentos compensatórios ocorrem, em
média, pelo menos duas vezes por semana durante 3 meses.

D. A auto-avaliação é indevidamente influenciada pela forma
e peso do corpo.

E. A perturbação não ocorre exclusivamente
durante episódios de Anorexia Nervosa.

A descrição clínica
Os critérios diagnósticos para 307,51
Bulimia Nervosa
A. episódios recorrentes de compulsão alimentar. Uma
episódio de compulsão alimentar é caracterizada pela
ambas as seguintes características:
(1) comendo, em um período de tempo discreto (por exemplo,
dentro de qualquer período de 2 horas), um montante de
comida que é definitivamente maior do que a maioria
pessoas que comem durante o mesmo período
de tempo e em circunstâncias semelhantes,
(2) um sentimento de falta de controle sobre a alimentação
durante o episódio (por exemplo, um sentimento de que
um não pode parar de comer ou controlar o que
ou quanto está comendo um)
B. Recurrent compensatórios inadequados
comportamento, a fim de evitar o ganho de peso,
tais como a auto-indução de vômitos; desvio de
laxantes, diuréticos, enemas, ou outros
medicamentos; jejum ou exercício excessivo
C. A compulsão alimentar e inadequada
ambos os comportamentos compensatórios ocorrem, em
média, pelo menos duas vezes por semana durante 3 meses.
D. A auto-avaliação é indevidamente influenciada pelo corpo
forma e peso.
E. A perturbação não ocorre exclusivamente
durante episódios de Anorexia Nervosa.

Tipo Purgativo: durante o episódio atual de Bulimia Nervosa, a pessoa regularmente utiliza
a auto-indução de vómitos ou o uso indevido de laxantes, diuréticos.
Tipo Não-purgativa: durante o episódio de bulimia nervosa, a pessoa utiliza outros comportamentos compensatórios inadequados, tais como jejum ou exercícios excessivos, mas não utiliza auto-indução de vômitos ou o uso indevido de laxantes, diuréticos.

(From DSM-IV-TR,
American Psychiatric Association, 2000)

Reconhecendo Bulimia

  • Exagerada preocupação com o peso e / ou imagem.
  • Dieta Rigida seguida de uma compulsão alimentar.
  • Preocupação execessiva com alimentos e planeamento de compulsões.
  • Roubo de comida ou escondê-la.
  • Frequentes compulsões alimentares especialmente sob stress.
  • Ingerir alimentos depressa e sem controle.
  • Desaparecimento após a compulsividade.
  • Uso de laxantes e vomitos ou exercicio para controlar o peso.
  • Culpa e vergonha de comer compulsivamente.
  • Mudanças de humor acentuadas incluindo longos periodos de depressão.

Consequências Associadas

  • Cabelo seco e unhas fracas.
  • Unhas quebradiças
  • Pele quente e húmida.
  • Erosão do esmalte dentário, hemorragia nas gengivas.
  • Mudança na mordida do maxilar inferior e alinhamento.
  • Fadiga / Suores Frios / Tonturas devido as rápidas mudanças dos niveis de açucar no sangue.
  • Inchaço das glandulas salivares, rosto e pescoço.
  • Irregularidades no ciclo menstrual.
  • Abortos / Infertilidade.
  • Problemas Neuro-Musculares.
  • Disturbios da visão.
  • Palpitações cardiacas.
  • Perda de memória, perda de capacidade mental.

Principais problemas de Saúde

  • Danos no esófago
  • Edemas
  • Problemas tiróide
  • Irritação pulmunar
  • Ùlceras
  • Doenças Gastrointestinais
  • Problemas Estômago
  • Diabetes
  • Danos nos rins/ hepáticos.
  • Danos e insuficiência cardiaca.

Para muitos de nós, bulimia começou como um controlo do peso, a técnica e tornou-se um
ferramenta de gestão de stress, uma forma de superar as emoções indesejável. Uma vez que tínhamos um padrão de comportamento Bulímico era extremamente difícil parar.
Interromper exige-nos ter que lidar com as emoções e situações que queria-mos evitar ou negar. Nós consegumos muito bem manter o nosso comportamento auto-destrutivo.
Vergonha, culpa, medo de intervenção e da mudança manteve-nos preso numa teia de mentiras e de negação.
Infelizmente para nós, a nossa bulimia cresceu com a protecção do sigilo. E, porque
fizemos coisas mas, começamos a pensar em nós mesmos como "más" pessoas. Era difícil
desenvolver a motivação para a mudança.

Mas, eu sou "Óptimo!"

Superficialmente, parecemos "bem". Normalmente, nós estavamos a funcionar bem no desempenho na escola e no trabalho. Sob a fachada de competência, no entanto, sentimo-nos reprimidos e tristes.
Perdemos o contato com a nossa própria fé, e somos incapazes de reconhecer e distinguir as nossas emoções.
A depressão apodera-se de nós e , então, tornamo-nos cada vez mais em pessoas sós e desesperadas.
Bulimia foi uma forma catastrofica de libertar o nosso medo, vergonha, dor e
raiva;
Nós achamos que não conseguiamos parar o comportamento até que encontramos forma de satisfazer as necessidades emocionais.

Recuperação
1. Começa com vontade de ser honestos e admitir que tem um problema.
2. Tipicamente requer ajuda profissional e grupo suporte; ambos são fortemente
recomendado.
3. É mantido a através da vontade para enfrentar e lidar com suas emoções numa aceitação,
aberta e responsável.

Não existe uma pilula milagrosa ou uma frase que nos fará sentir melhor. Temos uma chance de encontrar esperança novamente, uma oportunidade de viver em liberdade, mas é um trabalho difícil.
A Bulimia não é acerca da comida, é uma ferramenta para lidar com as emoções e sentimentos. A maioria de nós foram profundamente negativos e queiram ou não consuiamos distinguir padrões de pensamento negativo da realidade; a nossa
perspectiva foi distorcida.
A Bulimia ajuda-nos a viver com as nossas distorções, negativismo, e depressão.


Recuperaçao

Em recuperação, descobrimos que somos responsáveis por compreender as nossas necessidades e estarmos satisfeitos. Os nossos comportamentos mostram claramente o que estamos a fazer para obter essas satisfazer essas necessidades de alguma maneira; nós queremos lidar com elas com responsabilidade ou estamos satisfeitos por tê-los ou bulimia
similarmente insalubre outras alternativas.
Recuperação significa reconstruir confiança com nós mesmos.Ouvir-nos a nós mesmos, validar os nossos sentimentos, tentar compreender as nossas necessidades e levá-los satisfeitos. Aprendemos a expressar-nos com dignidade. Aceitamos-nos como sentimos, e se não gostarmos mudamos o que estamos a fzer e o que estamos a sentir.
Mudar o nosso pensamento torna possível a mudança dos nossos sentimentos e comportamentos, e criar vontade de aprender novas habilidades é um processo, não um acontecimento.
Leva tempo a desenvolver um transtorno alimentar. Demora tempo e esforço de reconstruir a confiança e voltar a ganhar poder de escolha. A maioria de nós desperdiça uma grande quantidade de tempo tentando "fazer recuperação" sozinho. A recuperação exige
grande motivação e apoio. Podem acontecer recaida e momentos de medo e frustração;
O apoio ajuda-nos a passar por essas experiências com segurança.

Ao aprendemos a ser mais honestos conosco e com os outros, encontramos autenticidade, a perspevtiva e poder. Também encontramos verdadeiros amigos.
Assumimos a responsabilidade e cada vez as nos sentimos melhor!

A verdade - a nossa própria verdade - faz-nos sentir livres.
Ela funciona conosco. Ela também vai funcionar consigo.


segunda-feira, 27 de abril de 2009

Testemunho para o blog http://recuperarequeestaadar.blogspot.com


" A minha Historia"


Olá! Sou a Sue e vou aqui deixar o meu testemunho sobre Anorexia/Bulimia e a minha Recuperação.
Tenho 23 anos, sou do Algarve e desde os 13 anos que sofro desta problemática.

Desde que me lembro nunca me aceitei e sempre me achei inferior aos outros e “gorda”.

Mas isto veio a piorar quando o “senhor de vermelho” apareceu, o meu corpo, como o de qualquer mulher começou a alargar e eu comecei a entrar em paranóia.
A minha vida girava em torno de pensamentos sobre a gordura e a comida e já antes pela tenra idade não tinha sido capaz de deixar de comer. Até ao dia que decidi que era desta, se emagrecesse eu ia ser feliz, então deixei de comer.

Passava os dias a leite, água e pastilhas elásticas. Em pouco tempo, começaram a notar-se os quilos a desaparecer e a ficar mais feliz. A verdade é que nunca fui gorda, o meu peso máximo era de 59 quilos para 1,65m de altura.

Enfim, lá emagreci e parecia que tudo corria bem. Nesta altura, mudei de escola, de amigos e numa de afirmação comecei a fumar charros. A doença ainda não tinha afectado a minha vida social e eu fazia-o para agradar os outros.

Com os charros, voltaram os quilos a mais. Passava os dias “ganzada[i]” e deixei de pensar no meu corpo, comia e depois sentia me culpada, mas o mais importante eram as “ganzas[ii]”, e voltei a engordar.

No ano a seguir depois de ir para o Liceu voltei a sentir me horrível e muito gorda, até pensava que o rapaz de quem gostava não gostava de mim porque era gorda, etc.

Voltei a deixar de comer, mas desta vez a serio. Não comia as refeições, só fruta, iogurtes e comecei aos poucos a isolar-me no meu “mundo”. Vivia obcecada com a comida e não pensava em mais nada, apesar de a rejeitar.

Em poucos meses, voltei a emagrecer aquilo que tinha ganho e algo mais, não tinha objectivos concretos ou realistas, não tinha um peso estipulado, aquilo que mais queria era emagrecer cada vez mais.

Um dia, não aguentava mais a fome e a privação, lembrei-me que podia vomitar apesar de todo o nojo que isso me fazia sentir. Comecei a vomitar de vez em quando, depois diariamente e até faze-lo varias vezes ao dia foi um ápice.
Estava nas “teias da doença”. Antes de iniciar os “rituais” do vómito, nos jantares de amigos, só aparecia no final, também evitava os jantares de família, depois, quando comecei a vomitar, aconteceu o “milagre”, porque podia frequentar os jantares como as outras pessoas, depois livra-me de tudo o ingeria.

Começou a ser um hábito. Não pensava em parar e ate trouxe “felicidade” ao menos podia fazer tudo que desejava na mesma.

Ate ao dia que a minha mãe descobriu e levou me ao psiquiatra. Começaram os planos alimentares, os anti-depressivos - foi a minha “receita” - mas de pouco valeu, pois não queria parar nem conseguia, tinha horror em engordar e ainda me dava mais gozo ir às consultas e ter perdido peso.

Isto prolongou-se durante 3 anos ( escolares/Liceu) e aos 18 anos depois de ter entrado em desespero e já não me suportar, tive que pedir ajuda. O meu corpo começava a ressentir, problemas intestinais, estômago e os dentes numa miséria.
Depois de ter experimentado tudo o que podia, psicólogos, psiquiatras, consultas no Hospital de S. Maria, acupunctura, etc., etc...

Rendi-me e pedi para me internarem porque sozinha não era capaz. Fui parar a um centro de tratamento de 12 passos, mais conhecido nos tratamentos de alcoolismo e toxicodependência. Ao inicio foi um choque mas com o tempo fui me identificando com as pessoas que lá estavam e senti me compreendida pela 1ºvez.

Fiquei e fiz 12 semanas de primária e 16 de half way[iii]. Na minha opinião, foi tempo a mais de tratamento, mas a verdade é que nunca me tinha sentido tão bem, como quando lá estive. A partir do dia em que cheguei a tratamento não vomitei, estava decidida a curar-me. Descobri que para além de anoréctica e bulimia eu era adicta. Algo que nunca tinha ouvido falar mas que me fez sentido.

O mais complicado disto tudo foi mesmo voltar a comer e não vomitar pois já estava numa fase que ate a água que bebia vomitava.

Passaram-se os 7 meses de tratamento e regressei a casa. Ao fim de três meses recai. Saí mal com o centro e não tive apoio nenhum.
Depois voltei a beber de novo e ate à minha vida voltar ao mesmo inferno de antes, foi um “pulinho”.

Passaram-se 4 anos e eu de novo nas “teias” da doença. “Orgias” de comida , bebedeiras de morte eram o meu dia a dia.

Tentei de tudo de novo, terapias naturais, psiquiatras, psicólogos, geográficas, mas de nada me valeu. Estava de novo no “fundo do poço”[iv].

Engordei 16 quilos, foi um verdadeiro “pesadelo”. Experimentei todo o tipo de dietas e nada. Ate que aceitei que outro tratamento que deveria ser a única coisa que me podia salvar. Pedia ajuda à minha mãe e na semana a seguir estava a ser admitida em tratamento. Manipulei a coisa, afirmando “Não estou assim tão mal, como antes, só precisava de 1 mês para me por bem, novamente”.

Fui para tratamento de novo e com o tempo fui-me apercebendo que estava tão mal como antes, só que desta vez mais virada para a bulimia. Em vez de 1 mes fiquei 2 meses e meio e sai há 1 semana e meia.

Hoje sinto me muito bem, acordo de manhã com vontade de viver. Faço uma alimentação equilibrada e perdi uns bons quilos, não sei quantos, porque não me peso. Consegui descobrir-me a nível interior, uma forma mais “profunda”, permiti-me mudar e hoje sinto-me feliz e muito grata a todos aqueles que me ajudaram e à vida por me ter dado outra oportunidade e por ter deixado o sol brilhar de novo para mim.
SO POR HOJE NAO USO COMIDA NEM ALCOOL EM CIMA DE SENTIMENTOS E NAO LIMITO O MEU CEREBRO A ESTES PENSAMENTOS. E JA LA VAO ALGUMAS 24 HORAS ;)

Impotencia perante a comida - Overeaters Anonymous O que é?

" A cor da pele, a estrutura familiar e as relaçoes interpessoais, a idade, a ocupação e as manisfestaçoes da doença, podem ser diferentes mas todos nós somos impotentes perante a comida"

( meditaçao do site O.A.)

Depois de anos a lutar contra o seu peso e a obsessão perante a comida, decidis-te tentar em O.A.
Num encontro de O.A., vais encontrar homens e mulheres que compartilham o mesmo problema - obsessao pela comida - e encontraram uma solução comum: os Doze Passos e Doze Tradições de Overeaters Anónimos. Vais encontrar ai pessoas com o mesmo problema que tu . Serás muito bem acolhido.

O encontro abre normalmente com a Serenidade Oração, e poderás ouvir uma leitura denominada "O nosso convite", que descreve a doença de adicção á comida e os Doze Passos O formato das reuniões podem variar, mas todos os grupos OA buscam recuperação em três níveis - físico, emocional e espiritual - através dos Doze Passos, e o único requisito para a pertencer a O.A é um desejo de parar de comer compulsivamente.

Podes ouvir um orador a falar entre 10 a 15 minutos sobre como era a sua vida antes de encontrar OA, o que aconteceu, e como ele ou ela é agora, ou alguém a ler a literatura de OA ou AA (Alcoólicos Anônimos). Outras pessoas irão partilhar as sua experiência, força e esperança.Terás uma oportunidade de introduzir-te como um recém. chegado se assim quiseres. Vais perceber que não estás sozinho, que há um caminho que te tira do teu desespero. Porque o anonimato é um princípio fundamental do programa de OA, podes confiar que o que partilhares sera guardado e deixado ali. Isto dá a segurança que precisas para partilhar a tua experiência honestamente.

Podes reconhecer a tua própria história, quando ouvires a dos outros. Ouvir vai te ajudar a encontrar outras pessoas que tenham o que quere, independentemente de esta ser, perda de peso, clareza, alegria ou a recuperação da obsessão. Podes pedir a alguém para ser teu padrinho.Um padrinho irá ajudar-te a trabalhar os passos do programa para conseguir a recuperação que procuras.

Quando os membros partilharem, podes ouvir eles a referirem-se a um Poder superior ou a Deus. OA não é um programa religioso e não pertence a qualquer ideologia religiosa. É um programa de principios espirituais e os membros individualmente abordam estes princípios como assim o entenderem.

Uma lista pode ser passada para que todos possam escrever os seus nomes e números de telefone, para que as pessoas possam oferecer o seu apoio mutuamente entre as reuniões. Podes falar com qualquer membro da reuniao para exclareceras as tuas dúvidas sobre o programa e terá também uma oportunidade de obter números de telefone para te ajudarem.
O telefone é uma ferramenta importante na OA para receber e dar apoio e lembrando que não estás sozinho.

As reuniões duram normalmente entre uma a duas horas e, muitas vezes, incluem uma pausa. Durante a pausa, fique à vontade para fazer perguntas e buscar literatura de O.A. para te ajudar a perceber o programa. Ao pedires ajuda, estás dando um importante passo em direção à tua recuperação.

Uma vez que a OA é auto-suficiente através de contribuições dos membro, uma bolsa será passada para doações.

Notarás que há alguns membros voluntários para ajudar a manter a reunião, como o secretário, o tesoureiro e coordenador. O serviço em O.A ajuda-os a mantê-los em contacto e ajuda-os a pararem de comer compulsivamente. O serviço é importante para a tua recuperação e permite-te dar de volta ao companheirismo que játe salvou a vida. Existe a varias ipoteses de fazer serviço desde o servidor de café e quem arruma as cadeiras o que permite a existencia da reunião.

A reunião geralmente termina com uma promessa de O.A. "Eu coloco a minha mão na tua"

O que não encontrarás em OA reuniões são pesos, refeições embaladas, encargos, taxas, "deveres", "obrigações" ou julgamento.

O que vais encontrar nas reuniões é a seguinte:

* Aceitares-te como és agora, como foste e como serás.
* Compreensão dos problemas que enfrentas hoje - quase certamente partilhada por outras pessoas no grupo.
* Comunicação que surge como o resultado natural da nossa compreensão mútua e aceitação.
* A recuperação de tua doença.
* O poder de começares um novo modo de vida através da aceitação e compreensão de ti mesmo, a prática do programa de recuperação de Doze-Passos, a crença num poder maior do que a tu próprio, bem como o apoio e companheirismo do grupo.

Se decidires que és um de nós, nós recebemos-te de braços abertos. Quaisquer que sejam as tuas circunstâncias, nós oferecemos-te o dom da aceitação. Não estás mais sozinho.
Bem-vindo ao Overeaters Anónimos. Bem-vindo a casa!





quinta-feira, 23 de abril de 2009

Assustador!!!

Encontrei este video na net e realmente assustou-me, não so por ser vitima desta doença mas por saber que existe tanta gente que sofre em segredo!!!
Por isso vos peço PROCUREM AJUDA!!!!

quarta-feira, 15 de abril de 2009


Estive a ver o seu perfil! Vote no Selo de Alberto Coelho


Votem ;)

Reunião de adictos á comida anónimos ACA


Informaçao:

Para o pessoal de Lisboa ou da area que se identifique com este blog ou que tenha qualquer tipo de disturbio alimentar (anorexia, bulimia, compulsao) existe uma reuniao de adictos á comida anonimos em Lisboa.
Aproveitem e tirem partido desta grande ajuda que vos é dada ;)
Nada melhor que partilhar com alguem e ouvir alguem que sabe o que sentimos pois sente ou ja sentiu o mesmo.

Adictos á Comida Anonimos - 2ª Feira Igreja das Furnas , 7 Rios 19:00

Porque muita gente sofre desta problematica, coragem e peçam ajuda... nao tenham mais vergonha, nao estao sozinhos ;) O pessoal e muito fixe e receberá-vos de braços abertos ;)

E... para breve uma reuniaozita no Algarve ;) ... depois deixo noticias ;)

Uma dosagem de energia positiva


Se queres ser feliz amanhã, tenta hoje mesmo.
(Liang Tzu)



Estou numa fase muito positiva da minha vida ;), para alem de ter encontrado algum equilibrio a nivel alimentar isso reflete-se no resto da minha vida e sinto me cada vez melhor!!!
Deixei de ensar que so serei feliz quando me torna-se magra e comecei a ser feliz HOJE...
Aceito aquilo que tenho e que me vem parar as maos e tem me ajudado em muito a aceitar-me e a aceitar o meu processo de vida e principalmente a mim propria.
Deixei de achar que tudo o que tenho nao presta e que poderia ter muito melhor e comecei a aceitar que aquilo que tenho neste momento é aquilo que necessito hoje para viver e para crescer.
Se as coisas, pessoas, acontecimentos, etc. aparecem na minha vida eu paro e penso e aceito aquilo que estou a receber por muito que eu idealizasse muito mais e aceito que aquilo e o que necessito neste momento nao sei porque mas isso fara-me crescre. Por muitas vezes ainda tento perceber "o quê, porquê?", mas faço um grande esforço para aceitar que aquilo que tenho e o que preciso memso e tento nao questionar muito com o tempo as respostas surgirao...
Deixei de projectar tanto e racionalizar... Criar um esquema logo de inicio dos acontecimentos se sera ou nao o que quero , se sera ou nao o que preciso, se poderei ou nao ter melhor e limito me a viver e a aproveitar o que a vida tem de melhor para me dar ;) e sendo sincera... ela tem sido muito bondosa comigo... mais depressa do que aquilo que eu pensei que fosse possivel ela tem me posto aquilo que quero a frente das minhas maos... so me resta agarrar as coisas e disfruta las ao maximo... So por Hoje eu sou feliz e aceito-me ;) e para me sentir bem tento ajudar alguem porque isso preenche-me e faz com que eu nao olhe so para mim ;)

Um Optimo dia de Hoje para todos e sejam Felizes So POr HOJE**

" Quando nos e fechado uma porta, é aberta uma janela"

"Por mais longa que seja a noite, o sol volta sempre a brilhar."

Tenho-vos a dizer que muito me ajudou este livro... a mensagem é extremamente positiva



quinta-feira, 2 de abril de 2009

12 passos

Os Doze Passos

1. Admitimos que éramos impotentes perante a comida - que tínhamos perdido o domínio de nossas vidas.

2. Viemos a acreditar que um Poder Superior a nós mesmo poderia devolver-nos a sanidade.

3. Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos.

4. Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos.

5. Admitimos perante a Deus, perante nós mesmos e perante outro ser humano e exata natureza de nossas falhas.

6. Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter.

7. Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse das nossas imperfeições.

8. Fizemos uma relação de todas as pessoas que tínhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos a elas causados.

9. Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível, salvo quando fazê-lo significasse prejudicá-las ou a outrem.

10. Continuamos fazendo o inventário pessoal e quando estávamos errados nós o admitimos prontamente.

11. Procuramos, por meio da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus na forma em que O concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade e relação a nós e forças para realizar essa vontade.

12. Tendo experimentado um despertar espiritual graças a estes passos, procuramos transmitir esta mensagem aos comedores compulsivos e por em prática estes princípios em todas as nossas atividades.

" A permissão para usar os Doze Passos de Alcoólicos Anônimos para adaptação foi concedida por A.A. World Services, Inc."


Foi isto que me ajudou a encontrar me e a para de usar a comida para abafar os meus sentimentos ;)

De volta...

Bem aqui estive eu algum tempo ausente, mas desta vez volto e espero ser em força ;)
Pois a esta ausencia devesse um tratamento, novamente tive a necessidade de me internar num centro de tratamento de 12 passos e posso dizer que foi a melhor coisa que fiz, pois a minha vida tinha se transformado num verdadeiro inferno de novo.
Mas estou de voltacom tudo em cima e desta vez com muito mais força, finalmente consegui encontrar-me e olhar bem para mim e para o meu problema.
Desta vez espero que este blog possa ajudar a todas as pessoas que se identifiquem com este problema e podermos criar grupos de ajuda via net ou presenciais.
Estou cheia de força para vencer e para ajudar que ainda sofre desta maldita doença ;)

Desde 13 de Janeiro que não vomito nem tenho compulsoes alimentares, como tambem deixei de beber alcool, segui um plano alimentar e emagreci muito, nao sei quantos kilos pois foi me aconselhado nao me pesar e tenho cumprido o compromisso.

Descobri a pessoa feliz e com esperança que estava adormecida dentro de mim e gostaria de puder ajudar quem ainda se identifica com esta problematica.

"Juntos conseguimos aquilo que sozinho não somos capazes"